Transporte

Este é um dos manejos mais críticos de toda a produção!

Afinal, qualquer problema que aconteça durante o transporte, não possibilita que os animais se recuperem em tempo hábil. Isso leva a perdas de rendimentos de carcaça e também desconto parcial ou total do animal.

Por isso, deve-se:

  1. Retirar a documentação dos animais no dia anterior ao embarque.
  2. Determinar as atividades que deverão ser feitas por cada colaborador antes do seu início.
  3. Verificar as condições do embarcadouro antes do início das atividades.
  4. Verificar as condições dos veículos que serão embarcados.
  5. Planejar o horário de embarque para as primeiras horas do dia (mesmo que a propriedade se encontre em local próximo ao destino final).
  6. Acertar com o destino final a quantidade de caminhões que embarcarão e o horário que eles devem chegar na propriedade, para que motoristas e funcionários não esperem demasiadamente a outra parte.
  7. Trazer os animais que serão embarcados para próximo do embarcadouro no dia anterior para que possam descansar antes do trajeto.
  8. Embarcar apenas animais que estejam em condições de serem transportados. Caso algum animal esteja machucado, verificar a possibilidade de sacrificá-lo no local. Animais debilitados dentro de caminhões boiadeiros, além de chegarem gravemente feridos no destino final, muitas vezes podem gerar quedas dos demais animais que forem transportados no mesmo compartimento que eles.
  9. Embarcar os animais em grupo de acordo com a capacidade de cada compartimento do caminhão. Ao embarcar a quantidade total de animais do caminhão, será necessário “ajeitar” os animais nos compartimentos utilizando choque, aumentando a excitação e correndo o risco de se chocarem contra as estruturas do caminhão, gerando hematomas.
  10. Tratar os motoristas de forma amigável, uma vez que esses conduzirão seus animais para o destino final.
  11. Solicitar que os motoristas aguardem um tempo após o embarque para que os animais se acomodem dentro da gaiola do caminhão. Esse tempo deve ser de 10 a 30 minutos, dependendo da agitação dos animais.
  12. Evitar embarque de lotes grandes, a não ser que a propriedade possua capacidade de executar a atividade com rapidez. Embarques muito grandes cansam os manejadores, que começam a fazer um trabalho de pior qualidade com o passar das horas e faz com que os motoristas fiquem esperando muito tempo para embarcar.
  13. Levando em consideração a hierarquia social existente entre os grupos de animais, não misturar animais de pastos e/ou piquetes diferentes nos currais antes do embarque. Isso fará com que os animais ao invés de descansarem, fiquem brigando para estabelecer nova hierarquia na propriedade, caminhão e destino final, o que pode ocasionar lesões indesejadas.
  14. Solicitar para que os motoristas conduzam o veículo o mais rápido possível até o destino final, sem paradas desnecessárias.
  15. Caso haja qualquer problema com o motorista ou o caminhão, ligar para o destino final para solicitar que o mesmo seja substituído. Caso não haja alteração, não discuta e deixe para comunicar o destino final apenas depois do transporte já realizado, pois esse motorista poderá não cuidar de forma adequada dos seus animais durante o trajeto.

Desenvolvido por Agência Front | Todos os direitos reservados 2018